Quinta-feira, 17 de Março de 2011
Entrega do módulo TP2 (1/3)

 

Módulo TP2 – definição do âmbito funcional e técnico do projecto
 
 
O módulo 2 tem como objectivo explorar os requisitos funcionais (“o quê?”) e os requisitos técnicos (“como?”) da aplicação a desenvolver. Para a análise dos requisitos funcionais, vamos pôr-nos na pele do utilizador e descrever como a aplicação deve funcionar, não nos prendendo muito com limitações técnicas, mas sim, explorando criativamente todas as opções, tendo em conta as funcionalidades das aplicações existentes que analisámos no levantamento do estado da arte. De seguida iremos abordar os requisitos técnicos que poderão condicionar as nossas primeiras opções, como por exemplo, recursos financeiros, tempo, materiais, tecnologias, etc.
 
 
Requisitos Funcionais
 
·         Foco da análise: o ponto de vista do utilizador.
 
Em primeira instância é necessário saber como o utilizador toma conhecimento da aplicação. Isto poderá ser feito de duas formas: através do computador, acedendo ao site (que poderá ser o site do Grupo 9 – Where to go? What was seen?) ou no próprio local visitado, através de sinalética ou hotspots para chamar a atenção do utilizador que a aplicação está disponível e como a pode utilizar, com algumas instruções simples. Ao descarregar a aplicação para o telemóvel, vai aceder a uma página de boas vindas com acesso a instruções de uso e informação sobre a aplicação. Nesta fase o utilizador pode optar por se registar na plataforma de partilha de comentários, para poder visualizar opiniões de outros visitantes e dar também a sua opinião.
 Ao visualizar qualquer obra contemplada no sistema do Mobile Tourist Guide, pode utilizar a câmara para reconhecer um código associado à imagem, que vai dar acesso a conteúdos multimédia complementares. O utilizador poderá também querer seguir trajectos por artista, por período cronológico, ou percursos aconselhados por outros visitantes que por ali passaram ou os mais pontuados.
                No final da visita, o utilizador pode aceder a plataforma de comentários, ou fazer o registo se tiver optado por não o fazer no inicio e deixar a sua opinião sobre o local ou as obras visitadas. Esta partilha de comentários pode ser feita no próprio museu ou ao chegar a casa acedendo à Web. Além da partilha de comentários, os visitantes podem também votar nos melhores locais que farão parte de um ranking que pode ser visualizado no site ou através da aplicação no telemóvel.
 
 
Tabela de requisitos funcionais e por utilizador

requisitos_funcionais_utilizadores.pdf

 

 

Tabela de requisitos não funcionais

requisitos_nao_funcionais_utilizadores.pdf

 

Tabela de requisitos funcionais organizados por front-end e back-end

requisitos_funcionais_BE_e_FE.pdf 

 

Estudo da Viabilidade Técnica
 
A viabilidade técnica pressupõe a procura de soluções técnicas adaptadas ao requisitos funcionais identificados anteriormente, para tal, convém definir e identificar atributos relativos ao hardware, software, linguagens de programação, entre outros. Vamos dividir o estudo em Client-side e Server-side, no final há ainda indicação de outros requisitos que não se enquadram nas duas categorias anteriores.
 
 
Client-side
 
·         Hardware
Os telemóveis que vão suportar a aplicação necessitam de quatro características de hardware: Wi-Fi, Bluetooth, câmara e touch-screen.
 
o   Wi-Fi e Bluetooth são os métodos necessários para descarregar, actualizar e interagir com a aplicação. Para que a utilização da aplicação não esteja restrita a áreas com redes Wi-Fi ou a utilizadores com acesso à rede 3G, decidimos optar por uma estratégia alternativa: download da base de dados para o dispositivo móvel do utilizador, para que este lhe possa aceder a qualquer dado momento. Visto que o sistema operativo Android suporta a utilização de ficheiros XML, é possível exportar todas as informações necessárias (nome, imagem, descrição e outras informações relativas a cada item) de uma base de dados MySQL online para um ficheiro, sendo que este é posteriormente transferido para o dispositivo móvel do utilizador, permitindo-lhe assim aceder a toda a informação necessária sem necessitar de estar ligado a qualquer rede.
 
Wi-Fi - Forças:
- Comodidade de ligação para os utilizadores.
- Poupança na montagem e desmontagem da rede.
- Facilidade para ligação múltipla.
- Equipamentos com baixo custo devido ao crescimento da oferta.
- Compatibilidade total com qualquer dispositivo marca Wi-Fi em qualquer parte do mundo (garantida pela Wi-Fi Alliance).
- A maioria dos equipamentos já vem com dispositivos de tecnologia Wi-Fi instalados.
 
Wi-Fi - Fraquezas:
- Menor velocidade que as redes com cabos, devido às interferências e perda de sinal que pode ter.
- Não se consegue controlar a área de cobertura da rede, criando assim mais um problema de segurança.
- Consumo de energia elevado, reduzindo o tempo útil das baterias dos dispositivos.
 
Bluetooth - Forças:
- Baixo consumo energético.
- Muito utilizado por diferentes tipos de dispositivos.
- Ideal para pequenas redes sem fios.
- Amplamente conhecido pelos utilizadores pela sua implementação em dispositivos de uso geral, como telemóveis e consolas.
- Utilização simples.
- Ligação à rede sem precisar de configuração prévia.
- Sem fios.
- Comodidade de ligação para os utilizadores.
- Uso gratuito.
 
Bluetooth - Fraquezas:
- Baixa velocidade de transmissão.
- Possibilidade de recepção de arquivos não desejados (bluejacking).
- Limitação na quantidade de equipamentos ligados à rede.
- Limitação no raio de alcance, bastante pequeno: 10 m (possibilidade de chegar até 100 m, mas com muita distorção do sinal).
- O espectro de radiofrequência que usa não é aberto ao público em todos os países.
- As suas características e frequência de raio, tornam-no susceptível a ataques e intercepção indesejada do sinal.
 
o   A câmara vai servir de leitor de código QR, que depois será processado pelo software adequado instalado no telemóvel.
 
Forças:
- Presente em todos os modelos de telemóveis actuais.
- Não tem custo adicional de utilização.
- Amplamente conhecida pelo público em geral, utilização simples.
- Não precisa de ligação a qualquer rede nem instalação.
 
Fraquezas:
- Precisa de uma outra aplicação para funcionar como leitor de dados, assim como para a transmissão e apresentação dos mesmos.
 
o   Touch-screen é uma característica dos telemóveis com sistema Android, para o qual vamos desenvolver a aplicação e é necessário para a interacção utilizador-telemóvel.
 
Forças:
- Interacção directa por parte do utilizador para uma experiência interactiva mais envolvente.
- Presente em grande número de telemóveis actualmente assim como também em outro tipo de dispositivos (livros electrónicos, computadores, PDAs etc.).
- Torna a interacção mais intuitiva.
 
Fraquezas:
- Incrementa o custo do telemóvel.
- Nem todos os modelos de telemóveis, mesmo os mais recentes, contam com esta tecnologia.
- Possíveis problemas ergonómicos em alguns casos, depois de uma utilização prolongada, pela pressão constante do(s) dedo(s).
 
Fontes consultadas e datas de consulta:
http://es.wikipedia.org/wiki/Wi-Fi#Ventajas_y_desventajas(16,17/03/11);
http://www.wi-fi.org/(16,17/03/11);
http://en.wikipedia.org/wiki/Wi-Fi(17/03/11);
http://wifeworld.blogspot.com/2006/02/ventajas-y-desventajas-de-wifi.html(16,17/03/11);
http://es.wikipedia.org/wiki/Bluetooth(16,17/03/11);
http://junihh.wordpress.com/2007/06/02/ventajas-y-desventajas-de-bluetooth/ (16,17/03/11);
http://www.movicel.mx/index.php?option=com_content&view=article&id=9:ventajas-y-desventajas-de-bluetooth&catid=2:articulos(16,17/03/11);
http://www.maismedia.com/q/redes/bluetooth/como.html(16,17/03/11);
http://es.answers.yahoo.com/question/index?qid=20100220224227AA8qcNM(16,17/03/11);
http://www.blue-tooth-wireless.com/Advantages_And_Disadvantages_Of_Bluetooth.html(16,17/03/11);
http://en.wikipedia.org/wiki/Bluetooth(16,17/03/11);
http://www.theallineed.com/computers/07102280.htm(16,17/03/11);
http://es.wikipedia.org/wiki/Pantalla_t%C3%A1ctil(16,17/03/11);
http://en.wikipedia.org/wiki/Touchscreen(16,17/03/11);

 

 
 
·         Software
O software essencial que o dispositivo necessita de ter é o sistema operativo Android, sem o qual não é possível instalar e utilizar a aplicação. O utilizador necessita também de instalar software de leitura de código QR, o NeoReader*e Quick Mark*.
 
o   Android sistema operativo que vem já instalado no dispositivo móvel.
 
Forças:
- Crescimento do número de utilizadores deste sistema operativo.
- Maior facilidade em encontrar informação sobre aplicações e ajudas de programação para este sistema.
 
Fraquezas:
- Concorrência de outros sistemas operativos para dispositivos móveis (Symbian, Bada, etc.).
- O sistema iOS tem maior número de aplicações disponíveis.
 
o   NeoReader* é uma aplicação universal de leitura de código de barras que transforma o telemóvel num leitor de código de barras, permitindo o acesso a conteúdos Web.
 
Forças:
- Uso simples.
- Gratuito.
- Funciona em Android e iOS.
 
Fraquezas:
- Concorrência de outros softwares similares.
- Necessita instalação.
 
o   Quick Mark* é um leitor de código QR.
 
Forças:
- Visto ser mais complexo, pode dar asas a uma maior manipulação dos dados descodificados de um código QR.
- Utilização gratuita.
 
Fraquezas:
- Tal como com o NeoReader*, é necessário o download da aplicação para o dispositivo móvel.
- O nível de complexidade elevado da aplicação pode alienar o utilizador durante a utilização do mesmo.
 
Fontes consultadas e datas de consulta:
https://market.android.com/(14, 15/03/2011);
http://www0.rtp.pt/noticias/?t=RTP-lanca-aplicacao-para-Android.rtp&article=424505&visual=3&layout=10&tm=6(16, 17/03/11);
 
 

 




.mais sobre mim
.pesquisar neste blog
 
.Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
17
18

19
20
21
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Mobile Tourist Guide / se...

. Back Office

. Reunião de grupo – 13.06....

. Módulo 6 - testes

. Módulo 6 – Versão beta

. Testes de usabilidade

. versão beta e testes – au...

. Actualizações – testes

. Ponto de situação – OT 01...

. Versão beta e testes – au...

.arquivos

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

.tags

. todas as tags

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO
.subscrever feeds