Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011
Entrega do módulo TP1

Aqui fica o documento relativo ao trabalho efectuado ao longo do módulo TP1 - Modulo_TP1.pdf (todas as análises SWOT estão no documento). 

 

 

Mobile Tourist Guide

 Visão: Proporcionar uma experiência multimédia de qualidade interactiva aos utilizadores.

 

Missão: Criar uma aplicação interactiva para dispositivos móveis que permita ao utilizador obter mais informações e visualizar conteúdos multimédia sobre um POI1. Partilha de conteúdos entre utilizadores.

 

Valores: Valorização da experiência proporcionada ao visitante, na medida em que tem acesso à informação de forma imediata e cómoda. Valorização sociocultural, facilitando o acesso a informação complementar de uma forma simples (turismo cultural) e incentivando a partilha de opiniões. Valorização ambiental no que diz respeito à redução de impressão de guias, no entanto o cliente tem sempre a opção de os adquirir.

 

 Cultura, personalidade e estilo No caso do nosso projecto estas características são importantes estudar relativamente aos potenciais clientes (público-alvo). A cultura destes indivíduos situa-se acima da média, muito ou pouco, pois há uma pré-disposição para a procura de mais conhecimento. Em termos de personalidade, terão que ser indivíduos de espírito aberto, que valorizem a expressão individual e artística e com um estilo ligado às tecnologias, são pessoas que apreciam a utilizam gadgets no seu quotidiano e estão familiarizados com telemóveis de última geração e usam-nos em todo o seu potencial.

 

 Valor do produto, processo ou serviço: O valor do produto é tanto maior, quanto melhor for a satisfação experienciada pelo utilizador, uma vez que um dos nossos objectivos é disponibilizar uma aplicação com o custo mais baixo possível para o utilizador, se possível, gratuito e de relevância cultural.

 

Público-alvo: O público-alvo engloba jovens e adultos de ambos os géneros, com idades compreendidas entre os 15 e os 40 anos, uma vez que as faixas etárias compreendidas entre estes valores são as que nasceram e cresceram com as novas tecnologias, os chamados digital natives2. No entanto, além do público-alvo principal, poderá haver utilizadores com idades superiores a este intervalo também interessados. O elemento diferenciador do público-alvo que irá utilizar a aplicação do restante público é o interesse por gadgets, arte, cultura, história e a procura de conhecimento, mais do que a idade. Os utilizadores da nossa aplicação podem-se apelidar de prosumers3, pois outro grande objectivo é a partilha de informação entre utilizadores.

Para a definição do público-alvo, baseámo-nos num estudo realizado em 2009, por Vera Araújo com o apoio do SAPO/PT com uma amostra de 404 utilizadores, acerca da utilização da internet através de dispositivos móveis. Esta investigação demonstra que 52,7% dos inquiridos acede à internet através de dispositivos móveis (23,5% acede através do telemóvel ou PDA), sendo que 62% tem entre os 15 e 18 anos. As actividades com maior incidência são a consulta de notícias, consultar informação de eventos e acesso a redes sociais. De acordo com a Comissão Europeia, em Portugal, no ano de 2007, a rede 3G tinha cobertura de cerca de 80% da população. Neste momento estes valores serão superiores, o que é uma vantagem do ponto de vista do nosso projecto.

 

Stakeholders: Os stakeholders incluem as várias partes interessadas que contribuem directa ou indirectamente no desenvolvimento e utilização do produto. Aqui incluem-se os developers do produto, os orientadores e as entidades que beneficiarão com o lançamento da aplicação e também os clientes, uma vez que são eles que ditam o sucesso do produto. É do seu interesse que a aplicação seja funcional e enriquecedora, não a nível monetário mas do ponto de vista da experiência proporcionada, respondendo às necessidades do utilizador e criando valor para os seus developers e para as organizações (museus, postos turísticos, galerias de arte, etc.) que a ela se associem.

 

 

 

Levantamento do estado da arte ( trata-se de um excerto do texto presente no documento Modulo_TP1.pdf )

 

Foco da pesquisa: ‘Tenho um produto novo e preciso de uma identidade.”

 

Em seguida apresentamos algumas aplicações existentes:

 

Layar - http://www.layar.com/

Esta aplicação consiste num browser de realidade aumentada4, considerado um dos melhores actualmente. Para utilizar o Layar é necessário fazer o download da aplicação para o telemóvel e os conteúdos estão disponíveis a partir do mesmo, para os sistemas operativos IOS e Android permitindo combinar GPS, câmara digital, bússola e acesso à internet para identificar diferentes locais fornecendo diversas informações, em tempo real. As várias camadas de informação são exibidas de acordo com a direcção para onde a câmara do telemóvel está apontada e pela proximidade ao objecto. É possível, também, a utilização plug-ins predefinidos, que permitem mostrar apenas parte da informação, por exemplo, restaurantes, locais de paragem de autocarros, táxis, estações de metro, assim como permite ao utilizador criar camadas personalizadas.

Existem já alguns plug-ins para Portugal, tais como:

 

oEncontrar as melhores francesinhas no Porto;

oEncontrar imóveis georreferenciados (ex: casa Sapo);

Vídeo demonstrativo:

http://www.youtube.com/watch?v=b64_16K2e08

 

 

Junaio -http://www.junaio.com/

Junaio é um aplicativo de realidade aumentada4 para dispositivos móveis 3G e 4G equipados com câmaras, disponível para as plataformas de iOS e Android e brevemente estará disponível para Symbian. Segundo a Wikipédia, o Junaio é o primeiro browser de realidade aumentada4 a conseguir ultrapassar as limitações de precisão do GPS utilizando para isso LLA Markers.

Os marcadores LLA (latitude / longitude / altitude) são ferramentas que permitem saber a localização precisa de telemóveis, especialmente em ambientes indoor onde o GPS tende a ser impreciso. A localização fixa do marcador irá ficar guardada enquanto o

utilizador desejar ou quando um novo marcador for encontrado. Ao interligar a latitude, longitude e altitude num padrão único, o smartphone pode

reposicionar-se sem ter acesso a satélites. Desde que a bússola e o giroscópio funcionem o utilizador pode apontar o seu telemóvel para longe do marcador LLA e continuar a obter informação.

O utilizador pode também criar os seus próprios marcadores de LLA, basta para isso clicar num mapa ou escrever a latitude/longitude/altitude desejada para o marcador.

 

Vídeos demonstrativos:

http://www.dailymotion.com/video/xguu97_indoor-usage-of-junaio-lla-markers_school

http://www.youtube.com/watch?v=Lwga2aY1UFU&feature=player_embedded

http://www.youtube.com/watch?v=2_fYcdH2nMY

http://www.youtube.com/watch?v=kaIUfaJC4DM&feature=player_embedded#at=170

 

 

Wikitude -http://www.wikitude.org/

Wikitude é uma aplicação móvel com uma plataforma de realidade aumentada4. As aplicações actuais do Wikitude são o Wikitude World Browser e Wikitude Drive e só podem ser utilizadas em sistemas operativos iOS, Android e Symbian.

 

Wikitude World Browser

Este browser pesquisa por conteúdo georreferenciado em redor do utilizador usando a câmara e sensores do aparelho móvel. A informação virtual do objecto é exibida no aparelho a partir do local onde se encontra o objecto real. O Wikitude World Browser reúne os lugares mais próximos de todos os prestadores de conteúdo local, assim o utilizador saberá imediatamente o que está a acontecer à sua volta. O Wikitude World Browser possui um motor de busca - Location Aware Search - que procura todos os pontos de interesse através da pesquisa de uma palavra.

O Wikitude requer que o dispositivo disponha de bússola, acelerómetro, GPS e câmara.

Vídeo demonstrativo:

http://www.youtube.com/watch?v=xxly9PUCSvA&feature=related

 

Wikitude Drive

Wikitude Drive é uma aplicação de navegação que utiliza tecnologia de realidade aumentada4. Com uma ligação à Internet e recepção de satélite GPS, o Wikitude Drive suporta navegação em todo o mundo e em tempo real, através do acesso à base de dados da Wikitude

Vídeo demonstrativo:

http://www.youtube.com/watch?v=g-0cuqeUvCQ

 

 

Gowalla - http://gowalla.com/

É uma rede social baseada na localização do utilizador. A aplicação está disponível para Android, iOS, WebOS e Blackberry. Permite partilhar lugares com outros utilizadores e aceder a redes sociais como o Twitter e Facebook, o utilizador pode também criar os seus próprios percursos. A aplicação está disponível para download gratuito ou pode ser acedida através do site, no telemóvel.

Vídeo demonstrativo:

http://www.youtube.com/watch?v=VWmrBSOSt8Y

 

 

Grelha comparativa 

 

 

 

 

Estratégia e posicionamento – Mobile Tourist Guide

 

Tendo em conta o estudo anterior, referente a aplicações já existentes, que podem de alguma forma contribuir para o sucesso ou fracasso do nosso projecto e podem também ajudar a encontrar as melhores soluções para o desenvolvimento do Mobile Tourist Guide, apresentamos de seguida o estudo da estratégia e posicionamento.

A estratégia é a dinâmica do caminho para o sucesso.

A nossa estratégia é, principalmente, uma estratégia de custos. Queremos desenvolver uma aplicação adaptada às necessidades tecnológicas do utilizador, com o mínimo de custos de desenvolvimento e o mínimo de custos para o utilizador final, sendo o grande objectivo, a utilização gratuita.

Uma estratégia secundária é a inovação/diferenciação face a aplicações já existentes, pois embora tenha pontos em comum com vários produtos, o conceito geral é novo.

O posicionamento é a imagem ou identidade de um produto na ideia que o utilizador tem do mercado.

Em termos de posicionamento, visto ser uma aplicação inovadora, ao ser colocada no mercado vai ser líder de mercado por ser única, o que não implica, obrigatoriamente sucesso imediato.

Para a obtenção do sucesso e vantagem competitiva, temos vários objectivos a ser alcançados, nomeadamente o baixo custo de desenvolvimento, a disponibilidade de acesso à aplicação e a sua usabilidade. Tendo em mente a concretização dos objectivos, vamos disponibilizar a aplicação no maior número de sítios possível e com as melhores facilidades de acesso. Uma das opções é a disponibilização online através do portal desenvolvido pelo Grupo 9 – Where to go? What was seen? Os museus, galerias, centros de turismo, POIs1 irão também disponibilizar o download da aplicação.

 

 

Briefing– Mobile Tourist Guide

 

Conceito

 

Ideia central: Proporcionar uma experiência cultural, através de uma aplicação multimédia interactiva, que crie no utilizador satisfação e necessidade de conhecimento. Para tal, vamos desenvolver uma aplicação que será utilizada através do dispositivo móvel do utilizador, que o permita experienciar a obra de arte a outro nível e partilhar essa mesma experiência com outros utilizadores.

 

Mensagens chave: Estimular o conhecimento, a apreciação da arte e cultura. Fundir a arte clássica e física com o mundo virtual das novas tecnologias. Fomentar a partilha de informação entre os utilizadores e interacção.

 

Definição inicial do projecto: Após várias reuniões entre o grupo e com o orientador, propomo-nos a desenvolver uma aplicação interactiva, que o utilizador possa descarregar para o telemóvel e a partir daí, aceder a informação complementar sobre determinada obra de arte ou POI1. Os conteúdos disponibilizados vão ser conteúdos multimédia, e o utilizador tem a possibilidade de deixar uma opinião no final da visita ou de votar sobre a obra ou sobre o local que visitou. Esta pequena plataforma de interacção vai fornecer feedback às entidades relacionadas e a outros potenciais visitantes, o que é uma mais-valia em termos de melhoramento da experiência do utilizador. Um dos objectivos principais que ajudou também na definição da nossa estratégia está ligado aos custos, queremos utilizar recursos com baixo custo para a implementação da aplicação mas que ao mesmo tempo não prejudiquem a experiência final do utilizador, experiência esta, que deverá estar acessível de forma gratuita.

 

SWOT – Mobile Tourist Guide

Forças (Strengths):

O conceito é inovador, não existe concorrência directa na área. o Aplicação em actualização constante, adaptando-se às necessidades dos utilizadores.

Possibilita a partilha de informação.

Baixo custo de desenvolvimento e utilização.

 

Fraquezas (Weaknesses):

o Dificuldade de divulgação e aceitação pelo público-alvo, numa situação inicial.

o Qualquer uma das tecnologias estudadas que possa ser utilizada no desenvolvimento da nossa aplicação vai sempre implicar limitações inerentes à própria tecnologia.

 

Oportunidades (Opportunities):

Aumento do número de pessoas com smartphones.

o Globalização.

Grande crescimento de prosumers3.

 

Ameaças (Threats):

o Existem outras aplicações que embora não sejam concorrentes directas,

podem ter a preferência do público-alvo ou estar.



publicado por mariajcampos às 17:24
editado por filipe-monteiro às 23:21
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011
Estado da arte e briefing – aula 23.02.11

Na aula de hoje, após verificarmos que o nosso estudo do estado da arte estava um pouco extenso e algumas aplicações funcionavam de forma muito similar, decidimos manter apenas aplicações com pontos de interesse diferentes para não tornarmos o estudo redundante. Juntamente ao levantamento de aplicações já disponíveis no mercado vamos juntar um pequeno resumo sobre as várias tecnologias que nos interessa estudar para saber quais as mais importantes para a implementação do nosso projecto.

 

Amanhã, o grupo fará uma reunião da parte da manhã para rever todo o trabalho desenvolvido até agora e acertar os últimos pormenores para a entrega.

 




links + informações úteis

Special Issue on Locative Media for:  Convergence: The International Journal of research into New Media Technologies vol 18 no 3 - Article deadline: August 20, 2011

http://convergence.beds.ac.uk/submissions/instructions
 

Evaluation of Mobile Tourist Guides

 Evaluation_of_mobile_tourist_guides.pdf

 

Tate modern multimedia tour pilots 2002-2003 (um pouco antigo mas mt questões são actuais...)

http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.97.4405&rep=rep1&type=pdf#page=136

 

http://jornal.publico.pt/noticia/24-02-2011/o-futuro-dos-museus-dentro-de-um-telemovelentrevista-brent-glass-21402618.htm

 

Do Me … London

http://www.do-me.info/m_free_guides.php

A Survey of Map-based Mobile Guides

http://www.springerlink.com/content/mu516h0611126438/ 

mobiletravelbuddy

http://www.mobiletravelbuddy.com/

MacauMap

http://www.macautourism.gov.mo/macaumap/en/index.php

An innovative mobile electronic tourist guide application

http://www.springerlink.com/content/887gj235177w7781/

Myguide

http://myguide.iol.pt/

Travel Open Apps

http://www.hosteltur.com/132400_travel-open-apps-tendra-su-prueba-fuego-viernes-foro-tcv.html

 


Desenvolvimento:

Utilização de telemóvel/Internet:

 



Terça-feira, 22 de Fevereiro de 2011
Sessão de orientação 22.02.2011

Na reunião com o orientador, fomos encorajados a expandir a nossa pesquisa para aplicações não comerciais e projectos de investigação e não limitar a nossa pesquisa ou excluir aplicações ou tecnologias que possam parecer demasiado complexas, uma vez que nos vão ajudar nas escolhas técnicas do projecto. Neste momento o essencial é apresentar uma exposição das tecnologias e conteúdos encontrados e só posteriormente verificar a viabilidade técnica para o nosso caso. Estamos também a verificar o modo de interacção entre os utilizadores, uma vez que a nossa aplicação vai ter a possibilidade de os utilizadores deixarem comentários ou poderem votar sobre os sítios mais interessantes. Posteriormente iremos postar mais links relevantes para o levantamento do estado da arte.




Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2011
Estado da arte e briefing – aula 21.02.11

Hoje continuámos o levantamento do estado da arte, neste momento já temos definidas as aplicações que vamos analisar, das quais apresentamos os sites de seguida:

 

http://www.layar.com/

http://www.junaio.com/

http://www.wikitude.org/

http://questvisual.com/

https://www.geotrio.com/

http://www.twitter-360.com/

 

Há ainda outras que possivelmente também vão integrar este estudo, mas como as descobrimos no decorrer da aula, primeiro vamos ver qual a relevância para os nossos objectivos de trabalho e se se justificar serão igualmente analisadas:

 

http://gowalla.com/

http://foursquare.com/

http://www.presselite.com/

http://en.touristeye.com/

 

Para as primeiras já efectuámos a análise SWOT e vamos executar uma grelha comparativa para mais facil compreensão das tecnologias e conteúdos utilizados em cada aplicação.

 

Neste momento estamos a iniciar o briefing do projecto, onde vamos delinear o conceito base do mesmo e tentar especificar os objectivos principais. Amanhã vamos reunir com o orientador para mostrar as tarefas que viemos a desenrolar desde a última sessão e ultimar alguns detalhes para a entrega do Módulo 1 que será quinta-feira.

 




Quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2011
Sessão de orientação 16.02.2011

Os elementos do grupo reuniram da parte da tarde com o orientador, para exporem as suas expectativas e pontos de vista relativamente ao projecto e receberem feedback acerca dos mesmos. Uma vez que esta foi a primeira reunião entre o grupo e o orientador, foi essencial, este primeiro momento de gestão de expectativas e de definição do que se pretende elaborar no projecto.

 

De seguida expusemos o trabalho desenvolvido na aula, juntamente com as nossas questões relativas ao estudo de aplicações já existentes. O prof. Beça sugeriu alargar o espectro de investigação, não incluindo apenas museus, mas qualquer tipo de aplicação que envolva interactividade em dispositivos móveis, tentando compreender como a informação se encontra disponível para o utilizador (armazenada no telemóvel ou na internet), e quais as tecnologias de acesso e processamento dessa informação (GPS, wifi, bluetooth, QRcode, RFID …). O objectivo é estudar as vantagens e desvantagens destes tipos de aplicações, criando uma grelha, que contempla as diversas aplicações num eixo e as funcionalidades no outro, analisando criticamente as soluções disponíveis para tentar encontrar as mais vantajosas para o nosso projecto, uma vez que o grande objectivo no desenvolvimento desta aplicação é ter o custo mais baixo possível ao nível das tecnologias utilizadas e, se possível, não ter qualquer custo para o utilizador e mesmo assim proporcionar uma experiência de excelência do ponto de vista interactivo.

 

O orientador deixou-nos ainda com dois conceitos-chave para a análise do público-alvo e stakeholders: ‘prosumer’ e ‘digital natives’, que iremos investigar e aplicar.

 

Posteriormente iremos disponibilizar links para as aplicações que vamos estudar no levantamento do estado da arte.

 



publicado por mariajcampos às 18:12
editado por filipe-monteiro às 19:27
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Estado da arte – aula 16.02.11

Nesta aula fizemos uma caracterização geral do projecto, abordando conceitos como visão, missão e valores. Começámos também a definir o público-alvo e a posição dos stakeholders. O desenvolvimento destes conceitos vai ser essencial para o estudo do estado da arte e para conceptualizarmos o nosso projecto através da proposta fornecida pelos orientadores.

 

Resumidamente, embora o projecto não esteja ainda completamente definido, podemos já afirmar que a nosso projecto passa por realizar uma aplicação interactiva para dispositivos móveis, que poderá ser utilizada em museus, roteiros turísticos e outros pontos de lazer e interesse, que visa proporcionar uma experiência de qualidade interactiva com a acesso a informação complementar de forma cómoda e imediata.

 

Ao iniciarmos o levantamento de outros serviços similares, deparámo-nos com algumas dificuldades, pois estávamos à procura de serviços muito específicos e idênticos ao que queremos desenvolver. Após a sessão da parte da tarde com o orientador do projecto, essas questões ficaram esclarecidas e serão referidas no post seguinte referente à sessão de orientação.

 



publicado por mariajcampos às 18:09
editado por filipe-monteiro às 19:26
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Diagrama de Gantt - versão 1

Esta é a primeira versão do Diagrama de Gantt e com a evolução do projecto vão ser feitas alterações. Estas novas versões serão colocadas no blog.

 

Diagrama de Gantt (versão OpenProj)

Diagrama de Gantt (versão Microsoft Project)  


tags:


Apresentação

Projecto: Mobile Touriste Guide

 

Grupo 10: 

Bruno Moutinho 42801

Eduardo Medina 34072

Filipe Monteiro 36420

Maria Campos 51059

 

Orientadores:

Pedro Beça  

Rui Raposo




.mais sobre mim
.pesquisar neste blog
 
.Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
17
18

19
20
21
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Mobile Tourist Guide / se...

. Back Office

. Reunião de grupo – 13.06....

. Módulo 6 - testes

. Módulo 6 – Versão beta

. Testes de usabilidade

. versão beta e testes – au...

. Actualizações – testes

. Ponto de situação – OT 01...

. Versão beta e testes – au...

.arquivos

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

.tags

. todas as tags

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO
.subscrever feeds